Notícias

Vida prática  | 24/01/2011 07h10min

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada; veja dicas para escolher o seu

Aparelho tem potências de 7 mil a 60 mil BTUs e podem refrescar do quarto a uma sala de 100 m²

Sair da rua para um ambiente climatizado não raro arranca suspiros de alívio das pessoas. E hoje em dia ter este conforto em casa está cada vez mais acessível: por cerca de R$ 1,5 mil é possível comprar o aparelho e pagar a instalação. O preço, é claro, depende da potência do equipamento, e se ele será do tipo quente-frio – que pode ser usado no inverno para aquecer, em vez de resfriar.

Mas como escolher com tantas ofertas e valores diferentes? O Pense Imóveis traz mais detalhes sobre os modelos e suas vantagens.

Tipos de ar-condicionado
O ar-condicionado de janela, também chamado janeleiro, de parede ou ACJ, é instalado em buraco na parede - ou na própria janela. Tem, no mesmo equipamento, a condensadora, que esfria o ar, e a evaporadora, que o libera no ambiente. Apesar de mais compacto e de custo inicial mais baixo do que o do primo mais novo - o split -, o ACJ faz mais ruído, além de não ser tão eficiente para espaços maiores, afirma Melisa Maciel, gerente de vendas da Bom Tempo Climatização de Ambientes, em Porto Alegre.

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada nos dias de verão e de inverno
Modelo de janela da Consul, de 7,5 mil BTUs

Evolução do ar-condicionado de parede, o modelo split – palavra que, em inglês, significa “separado” -, tem esse nome porque é composto de dois equipamentos distintos: a condensadora e a evaporadora. A primeira, que é a mais barulhenta, é instalada do lado de fora do cômodo, e a segunda é o aparelho que despeja o ar gelado no ambiente. Além disso, é mais eficiente e consome cerca de 40% menos energia elétrica do que o tipo anterior.

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada nos dias de verão e de inverno
Modelo split do tipo hi wall de 9 mil BTUs tem preço médio de R$ 1,4 mil; o de 18 mil BTUs fica na faixa de R$ 2,3 mil  

Por causa das vantagens do split sobre o ACJ, Melisa diz que hoje é mais difícil encontrar o aparelho de janela nas lojas especializadas, mas as de eletroeletrônicos e os supermercados ainda trabalham com o modelo. E se a opção do cliente é pelo ACJ porque não há espaço para instalar o split, a vendedora menciona o modelo window, também chamado window split. A denominação é autoexplicativa: ele usa a tecnologia do split, garantindo a mesma economia, mas é compacto como o de janela, podendo ser instalado no espaço que seria dele em construções mais antigas.

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada nos dias de verão e de inverno
Modelo window split tem condensadora do tamanho do de janela, e preço médio de R$ 1,7 mil com 9 mil BTUs

Para ambientes grandes mas sem muita área externa para instalação, existem os multisplit, que conectam duas ou três evaporadoras à mesma condensadora. Mais caro que o split comum, ele mantém a economia de consumo quando comparado ao modelo ACJ, mas se três evaporadoras forem ligadas ao mesmo tempo, por exemplo, o consumo equivale ao de três condicionadores - a vantagem está, realmente, no espaço ocupado do lado de fora do prédio. O preço do modelo com duas evaporadoras de 12 mil BTUs fica na casa de R$ 3,6 mil.

Modelos de split
Para necessidades diferenciadas há variadas opções de split. O hi wall (ou high wall), é colocado próximo ao forro, a uma distância entre 15 e 30 centímetros.

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada nos dias de verão e de inverno
Piso/teto tem serpentina mais longa do que o hi wall e custa cerca de R$ 3,8 mil com 18 mil BTUs ou R$ 4,5 mil com 24 mil BTUs 

O piso/teto, como o nome indica, pode ser instalado no chão - atrás do sofá, por exemplo - ou na parede, quase no teto, o que inclui o canto do cômodo.

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada nos dias de verão e de inverno
Modelo piso/teto de canto, da Komeco, para espaços pequenos 

A diferença entre os dois modelos está no alcance: o piso/teto tem um metro a mais de serpentina, e consegue enviar o ar frio a um metro mais do que o hi wall. Por isso, aquele é indicado a ambientes compridos.

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada nos dias de verão e de inverno
Modelo cassete tem quatro saídas, mas exige gesso rebaixado; custa cerca de R$ 4,3 mil com 18 mil BTUs e R$ 4,8 mil com 24 mil BTUs  

Há, ainda, a opção do cassete, modelo instalado no teto, na região central do cômodo, e que tem quatro saídas de vento. Além disso, tem a vantagem de ter uma bomba antidreno, que impede pinga-pinga do aparelho que estiver com o filtro sujo. Apesar dos benefícios que oferece, o cassete só pode ser instalado onde houver 35 centímetros de rebaixo de gesso, alerta Melisa.

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada nos dias de verão e de inverno
Modelo portátil não precisa de instalação mas faz mais braulho

O mercado também dispõe de modelos portáteis, que podem ser transferidos de um cômodo a outro e não requerem instalação, já que a troca de ar é feita por um tubo, conectado do aparelho à janela. Apesar da praticidade, o modelo é mais barulhento e ocupa espaço no ambiente, como se fosse um móvel, pondera Melisa. O consumo de energia é o mesmo que o das opções fixas, e as potências são 9 mil e 12 mil BTUs, com opção de quente/frio.

Dimensionamento
Os condicionadores de ar podem ter potências que variam de sete mil a 60 mil BTUs. Para escolher qual o modelo que melhor atende às necessidades do ambiente, deve-se levar em conta o número e o tamanho das janelas e portas nele, a posição do sol em relação ao espaço, a quantidade de pessoas que vai conviver ao mesmo tempo no local e a presença de eletrônicos.

Para combinar todos esses elementos e encontrar o ar-condicionado adequado, o ideal é conversar com um especialista, diz Melisa. Mas, se a ideia é avaliar quanto vai custar o sistema, ela sugere partir de 600 BTUs por metro quadrado, acrescentando também 600 BTUs por cada equipamento eletrônico - monitor do computador, televisão, rádio, DVD.

Posição
A visita do técnico é importante também, lembra Melisa, para escolher o local onde será instalado o aparelho. "Deve ser um lugar em que o vento não fique diretamente em cima da pessoa", explica. No dormitório, o ideal é que seja sobre a cabeceira, e não na lateral do cômodo. No estar, deve ser próximo ao sofá, mas nunca sobre a televisão ou sobre quadros - se o filtro não estiver limpo, o aparelho pode começar a pingar e danificar peças que estejam sob ele. Na sala de jantar, deve-se evitar a proximidade com a mesa.

Instalação
O ideal é que o morador não esteja no cômodo no momento da instalação, por causa do barulho e da poeira vindos da furação da parede. Também por causa do pó, o ideal é retirar o sofá ou a cama do local, e protegê-los com uma lona. "O uso da serra-copo para furar já evita o excesso de pó, e a equipe também leva o aspirador, mas ainda assim alguma poeira acaba sobrando", explica.

Melisa lembra que, para quem mora em prédio, é preciso também avisar o zelador ou síndico da instalação. Na data, se o local do ar-condicionado fica sobre uma área de circulação, é necessário isolar a mesma e explicar que, alguns andares acima, está havendo a furação.

Ar-condicionado é opção para deixar a casa climatizada nos dias de verão e de inverno
Condensadoras são instaladas na parte externa do prédio

O valor da instalação depende da capacidade do aparelho. Isso porque a bitola do cano de cobre, que passa o gás do aparelho externo para o interno e vice-versa, varia de acordo com a quantidade de BTUs do equipamento. A distância entre a condensadora e a evaporadora, fora e dentro da casa, respectivamente, também afeta o valor, assim como o modelo escolhido - se hi wall, piso/teto, cassete. Além disso, em andares mais altos de prédios que não foram preparados para receber o ar split, pode ser necessário montar um andaime, com custo repassado ao cliente - mas a situação é rara, garante Melisa.

Na Bom Tempo, os preços de instalação partem de R$ 300 para os modelos de menor potência, como o hi wall de 12 mil BTUs, e de R$ 600 para os de maior capacidade, como o piso/teto de 60 mil BTUs.

Manutenção
A manutenção do ar-condicionado pode ser feita em casa, e deve ser periódica. Consiste em retirar o filtro de ar e lavá-lo em água corrente, sem adição de produtos de limpeza. Não é preciso esperar que seque para recolocá-lo no aparelho. O intervalo de um mês costuma ser suficiente, mas Melisa alerta que em locais com muita poluição, ou em lares com animais de estimação, pode ser preciso fazer a higienização com mais frequência. A recomendação também vale para o aparelho da cozinha, se a pessoa costuma fazer muita fritura.

Leia mais
>> Pense Imóveis especial: Verão 2011

>> Ar-condicionado e ventilador, juntos: mais economia
>> Como escolher o ventilador
>> Prepare-se par ao verão: dedetize a casa de praia
>> Decore a casa com as flores da primavera
>> Toldos ajudam a controlar claridade e temperatura

DÉBORAH SALVES  -  Pense Imóveis

Comente esta matéria

Mais Notícias

Aluguel por temporada  05/10/2011 16h09min
Check-list: veja o que verificar no imóvel antes de alugar para a temporada
Arquitetura e decoração  16/09/2011 11h34min
Abra a casa da praia e comece a se preparar para o verão
Arquitetura e decoração  01/09/2011 11h27min
Abra as janelas e prepare a casa para receber a primavera

Grupo RBS  Dúvidas Frequentes | Fale Conosco | Anuncie | Minha área - © 2010 PenseImoveis.com.br • Todos os direitos reservados.